A mente manda – Mundo Hipatético de Amanda

 

Sempre que escrevo, recupero minhas faculdades mentais, perdidas em meus pensamentos, que embaralham minha mente confusa e agitada, que funciona a todo vapor, dia e noite, sem parar, não me deixa descansar, me cutuca o dia inteiro, levando minha mão até a caneta, e a caneta até o papel, descarregando ideias repentinas, surgindo a cada minuto com um mundo novo.

Sempre trabalhando, mas também se divertindo, concretizando e idealizando sonhos ao mesmo tempo. Mas eu não reclamo dessa mente que tenho, eu escrevo, e escrevo sem parar, por que assim ignoro o inútil e me torno inabalável novamente.

Canso de qualquer rotina que me entristece, sei que não sou parte disso, pois faço parte de algo maior: eu. Tenho consciência, que tudo que me abala, não é para mim. 

É natural, eu não conseguir me fazer por entendida, e não culpo quem não esteja disposto a escutar-me, aliás, quem consegue acompanhar uma mente tão confusa como a minha?

Que trabalha ideias constantes e inconstantes o tempo todo, ideias que nem eu entendo. Não estou dizendo que vou perder vínculos, mas também não me prenderei a nenhum.

Todos sabem, tenho objetivos a cumprir, e ainda não sei quais são. Sei que todos temos uma finalidade nesse mundo, mas ainda não descobri qual é a minha. Ás vezes parece que já é tarde demais para encontrá-la, mas se for, qual é o sentido da vida? O que fiz de útil até agora? Apenas existi e não vivi? Me nego a aceitar isso, tenho uma missão sim e vou encontrá-la.

E por via das dúvidas, irei seguir minha mente e meu coração, e escrever enquanto eu tiver inspiração. Afinal, sou jovem e falta muito para meu fim, meu caminho é longo para desistir tão rápido.

Estou no começo de minha trajetória, tenho que conseguir superar pequenos obstáculos, para aprender a superar maiores. Preciso me encontrar novamente, sem que ninguém me encontre, quando conseguir, conto para vocês, através de um livro ou poema, ou até mesmo em uma obra de arte.