Hoje é dia do amor. Ah, que motivo mais nobre para se comemorar. O amor, sentimento tão sublime, tão elevado e tão natural. Só tem um problema: muito confundido e mal interpretado também. Culpa de quem? Claro, das paixões. Sim, porque nos apaixonamos e nos iludimos tanto, que chegamos a pensar que é amor. O que as pessoas esquecem, é que amor não está apenas no beijo, na atração, na sensação, ou qualquer coisa que defina um relacionamento a dois. Porque amor não é só a dois. Amor é familia, é natureza, é renuncia, é doação, é bondade, é cuidar, é empatia. Amor não é sofrimento, não é dor, não é traição. É como minha irmã sempre diz: o amor é Lindão!

Então, por que o confundimos tanto? Por que sofremos? Por que nos decepcionamos? Reflita. O que é amar para você? Quem ou o quê você ama? Depois de refletir chegará a conclusão que, cara, o amor não é um sentimento mundano. Ele não subjulga ninguém. Ele não prende ninguém. Ele não machuca. Ele é irreal, ele é superior. E nós, meros mortais, ainda somos muito medíocres para entender esse sentimento por completo. Talvez, só conheçamos uma minúscula parte de seu significado. Tudo o que sabemos é que ele existe. Cabe a nós explorar o seu verdadeiro sentido e fugir dos sentimentos que nos afastam dele.

Portanto, vamos comemorar. Viva o amor para aqueles que sabem verdadeiramente amar.